Tocantins, 27 de outubro de 2020 - Mira Jornal - 00:00

Estado

Juiz autoriza realização de comícios e carreadas em Miracema, Tocantínia e Lajeado

13/10/2020 17h37

Foto: Divulgação Medida vale para as cidades de Miracema do Tocantins e Tocantínia
Pedido para que os eventos fossem proibidos era do Ministério Público. Juiz entendeu que medida seria 'atentar contra o Estado Democrático'.

O juiz eleitoral André Fernando Gigo Leme Netto negou o pedido do Ministério Público do Tocantins para proibir comícios e carreatas nas cidades de Tocantínia, Lajeado e Miracema durante as Eleições 2020.

O MPTO tinha apresentado o pedido alegando que pelo menos 20 partidos e coligações que estão na disputa nos três municípios promoveram eventos do tipo com aglomerações.

A promotoria afirmou que a situação estava levando a riscos de saúde pública e pediu que os eventos fossem proibidos. O juiz negou o pedido alegando que não havia 'plausabilidade jurídica' e que comícios e carreatas são parte do processo eleitoral.

"Proibi-los a meu ver, seria atentar até mesmo contra o Estado Democrático, pois é nos comícios que os eleitores conhecem seus candidatos e suas propostas, ainda mais em um País carente como o nosso, aonde a Internet ainda é um luxo de poucos, como ficou demonstrado quando da paralização das aulas presenciais, aonde a maioria dos estudantes, sem acesso a computadores e internet, ficaram sem estudar", escreveu o juiz na decisão.

A medida vale apenas para as três cidades porque o pedido é restrito aos municípios que fazem parte da 5ª Zona Eleitoral do Tocantins. Processos sobre o mesmo tema correm na Justiça e as medidas de prevenção determinadas por casa juiz têm tido alguma variação. Em oito cidades, por exemplo, os eventos também foram autorizados, mas com a proibição de que seja realizada a queima de fogos de artifício.

No caso de Tocantínia, Lajeado e Miracema, a única restrição determinada pelo juiz é de que os participantes em comícios devem manter o distanciamento social e utilizar mascara, conforme previsto em decretos estaduais.

O partido ou coligação que deixar de cumprir esta regra pode ser multado em R$ 10 mil e o dinheiro será revertido ao fundo partidário. A decisão afirma que é obrigação dos organizadores "zelarem para que os participantes dos seus eventos utilizem máscaras".

A medida é de primeira instância e cabem recursos do Tribunal Regional Eleitoral e do Tribunal Superior Eleitoral.
(Do G1TO)

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Mais vídeosVideo Mira

Ambição, traição, mortes e mistérios envolvendo prefeitos e vices, no Tocantins.

Ambição, traição, mortes e mistérios envolvendo prefeitos e vices. No Tocantins, em menos de um ano, um  prefeito morto e dois baleados. O que está acontecendo por trás desses crimes? 
Geronimo Cardoso

Comente

  • Fidel Costa
    23/10/20 09h53
    ALÔ MIRACEMA!!! É com muito fé e entusiasmo que convidamos a população de Miracema para a maior caminhada da...
  • Jose Professor
    23/10/20 09h45
    Tem razão Ailton F Araújo. Todavia, como eu já disse: O povo será o responsável pela "peneira" que vai...
  • Jose Professor
    22/10/20 16h17
    Na enquete votei no combate a corrupção por ser a mesma o "câncer" que corroí as entranhas do erário...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.