Tocantins, 23 de maio de 2022 - Mira Jornal - 00:00

Estado

Tocantins tem área de desmatamento ilegal equivalente a 30 mil campos de futebol

07/05/2022 23h05

Foto: Reprodução/TV Anhanguera Área desmatada em propriedade rural no Tocantins —
Oito em cada dez donos de terra desmataram ilegalmente no Tocantins. Levantamento foi possível com o uso de ferramentas de geotecnologia.

Oito em cada dez donos de terra que desmataram no Tocantins no ano passado não tinham autorização para retirada da vegetação.

O total de área desmatada ilegalmente equivale a quase 30 mil campos de futebol. O dados estão em um relatório do Ministério Público do Estado (MPE). Em algumas áreas a devastação foi tão grande que não ficou nenhuma árvore em pé.

O levantamento foi possível com o uso de ferramentas de geotecnologia. Os técnicos compararam alertas de satélites do Mapbiomas com dados de cadastros rurais, que indicam a localização das fazendas e também com sistemas dos órgãos ambientais.

"A gente então faz o cruzamento com várias outras informações de outras instituições. Do Ibama, do órgão ambiental o Naturatins, então a gente vai fazendo um filtro e vamos, digamos assim, limpando essa informação", explicou o biólogo analista do Mapbiomas, Marlon Rodrigues.


Com as informações dos satélites é possível não apenas saber quando e onde houve o desmatamento, mas também identificar o proprietário e fazer um comparativo sobre como eram as áreas fiscalizadas e como estão atualmente.

Uma das comparações mostra que em outubro de 2020 uma área estava toda verde. Ao lado, no ano passado, a área não apresentava mais nenhuma árvore. "É a mesma coisa de uma foto de uma placa de carro de alguém que avança o sinal e tem ali um radar identificando", comentou José Maria da Silva Júnior, procurador de justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (Caoma).

Em 309 propriedades monitoradas a área desmatada é maior do que 20 hectares. Pelo tamanho da devastação esses locais se tornaram alvo de investigação.

"Nós separamos as principais propriedades por atividades. Aquelas que a gente entende que têm maiores desmatamentos e maior repercussão no meio ambiente e a gente. No final se não houver um acordo com os produtores rurais ou com o produtor rural a gente amplifica a nossa atuação, a gente fiscaliza as propriedades in loco e a gente acaba propondo ações criminais ou ações cíveis que têm uma repercussão muito danosa também para o produtor", explicou o promotor Francisco Brandes Júnior.

Embora o cruzamento virtual de dados e a tecnologia agilize o processo, parte do trabalho precisou ser manual e os pontos de possíveis irregularidades foram verificados um a um.

O plano do MPE agora é reduzir o prazo para elaboração desse estudo. "A ideia é que a gente consiga fazer isso mensalmente ou até semanalmente, esse é o nosso objetivo", disse o presidente do Caoma.

Áreas mais desmatadas
Foram 775 propriedades com pontos de desmatamento identificadas no Tocantins em 2021. Oito em cada dez não tinham autorização para isso.

A pesquisa apontou que o estado registra três grandes focos de desmatamento: a região do bico do papagaio; área de proteção ambiental do cantão; e pontos específicos da região sudeste como São Valério, Natividade e Paranã.

De acordo com o Ministério Público, ao menos um terço das áreas onde há possíveis irregularidades são declaradas como reservas legais, o que torna a situação ainda mais grave.
TV Anhanguera e g1TO/Patrício Reis e Aurora Fernandes,

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Mais vídeosVideo Mira

Retrato da política nacional - Mas... O pulso ainda pulsa

Comente

  • jose professor
    20/04/22 07h39
    Não é justo e nem coerente que a falta de um ACORDO que atenda ambas as partes envolvidas impeça o desenvolvimento de...
  • Jose Professor
    05/04/22 08h16
    E a BRK com a obra de instalação do ESGOTO SANITÁRIO? Tudo parado e ninguém fala nada? O que está acontecendo?
  • jose professor
    13/02/22 08h04
    Ouço a boca miúda que a Prefeitura de Miracema quer exigir "comprovante de vacina" para que se frequente as...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.