Tocantins, 19 de setembro de 2021 - Mira Jornal - 00:00

Política

Recuo de Bolsonaro sobre ataques a Alexandre de Moraes desagrada ala militar do governo

10/09/2021 06h15

Foto de Ailton de Freitas/Agência O GLOBO Alexandre de Moraes durante sua sabatina na CCJ do Senado, em 21 de fevereiro de 2017Alexandre de Moraes durante sua sabatina na CCJ do Senado, em 21 de fevereiro de 2017
O recuo do presidente Bolsonaro sobre os ataques que proferiu ao Supremo Tribunal Federal (STF), em especial ao ministro Alexandre de Moraes, desagradou a ala militar do governo. A avaliação feita por integrantes das Forças Armadas que atuam no Palácio do Planalto é que Bolsonaro mostrou “subserviência” a Moraes sem ter recebido uma contrapartida do ministro.

Na nota de recuo publicada ontem, o presidente afirmou que boa parte das divergências que tem com os demais poderes “decorrem conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas” pelo ministro no inquérito das fake news. Bolsonaro também apontou qualidades de Moraes, como "jurista e professor", e disse que existem "naturais divergências" sobre algumas de suas decisões. Durante seu discurso no 7 de setembro, em São Paulo, o presidente chegou a chamar o ministro de “canalha”.

A conversa por telefone entre Bolsonaro e o magistrado, que é responsável pelos inquéritos que miram o presidente e seus aliados no STF, no entanto, foi apontada como um ponto positivo por integrantes da ala militares.

Os auxiliares do presidente dizem reconhecer os “rompantes” e “exageros” de Bolsonaro, mas avaliam que Moraes ajuda a tensionar o ambiente com decisões que os integrantes do Palácio consideram “excessivamente duras”. Para eles, a imagem que Bolsonaro “cedeu sem receber nada em troca” é negativa.

Outro ponto de crítica da nota de recuo de Bolsonaro foi o início da carta, quando ele afirma que não tinha “intenção de agredir quaisquer dos Poderes”. Para membros da ala militar está mais do que claro que o presidente quis ofender e dar um recado direto ao STF.
(Blog Bela Megale)

   

Comentários (1)

  • José Professor | 13/09/21 11h46

    Fake News. Recuo estratégico combinado com o Conselho de Defesa Nacional e ponto final. Quem viver verá. A combinação e acerto das medidas do momento visou não haver desabastecimento no território nacional. Aqueles que estão praticando ilações verão o resultado. Simples assim.

Mais vídeosVideo Mira

A festa da Padroeira Santa Teresinha do Menino Jesus

Comente

  • Redação
    25/08/21 14h04
    Parabéns Miracema pelos seus 73 anos. As cidades são como as pessoas sentem quando a ingratidão chega a sua porta....
  • Jose Professor
    14/08/21 09h57
    Não é a primeira vez que reclamo. Não é novidade o barulho infernal causado pelos carros de som na comunidade. Me...
  • Roberto Martins
    13/08/21 09h43
    Verdade mesmo. Eu li a entrevista no site no Mira Jornal e ouvi pela Rádio Miracema FM. Foi num domingo de manhã...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.